Uma alimentação adequada fornece combustível para uma boa saúde corporal, tornando a mente mais ativa e proporcionando, assim, uma boa disposição. Já uma alimentação desequilibrada pode produzir a carência de determinadas vitaminas e minerais, que se manifestam por sintomas físicos ou sensação de apatia, desânimo, irritabilidade, nervosismo, cansaço, falta de concentração, falha na memória e até depressão.

Mas você sabia que alguns alimentos ajudam a dar mais disposição e a espantar o cansaço, o estresse e o desânimo?Afinal, “você é o que você come!”.

O papel exercido pelos neurotransmissores é fundamental na alimentação para auxiliar no estado de ânimo.

Os neurônios precisam continuamente coletar informações sobre o estado interno do organismo e de seu ambiente externo, avaliar essas informações e coordenar atividades apropriadas à situação e às necessidades da pessoa.

Nesse processo de comunicação entre as células nervosas (neurônios), é essencial a participação dos neurotransmissores, substâncias químicas que agem como mensageiros para essa comunicação. Como exemplo de neurotransmissores podemos citar: a serotonina e a dopamina, capazes de gerar sensação de bem-estar e melhorar o estado de ânimo.

Nutrientes essenciais para a manutenção do bom estado de ânimo:

Triptofano: é um aminoácido essencial, precursor da serotonina (neurotransmissor). Alguns alimentos ricos em triptofano são: o leite e os produtos lácteos, peixes, carnes, vísceras, legumes, frutas secas, chocolate e frutas como a banana e o abacate.

Carboidratos: favorecem a passagem do triptofano pela barreira hemato-encefálica para convertê-lo em serotonina. Podem ser encontrados no açúcar mascavo, mel, frutas, cereais e farinhas integrais.

Vitaminas do complexo B e ácido graxo ômega 3: fundamentais para o desenvolvimento do sistema nervoso devido à sua alta concentração na membrana dos neurônios. Os alimentos ricos em vitaminas do complexo B são os cereais, o leite e seus derivados, ovos, verduras de folhas verdes, frutas, carne vermelha, vísceras e levedura de cerveja. Já os ácidos graxos ômega 3 podem ser encontrados nos peixes de água fria, sementes, óleos de linhaça e canola, cereais e vegetais de folhas verdes.

Alimentação para ter mais ânimo

Sabe-se que as proteínas são capazes de ativar alguns neurotransmissores de excitação no cérebro como, por exemplo, a dopamina e a noradrenalina. Há também a comprovação que determinadas frutas e verduras ajudam a restabelecer o equilíbrio emocional.

Alguns temperos estimulam enzimas que aumentam a secreção gástrica e elas, por sua vez, melhoram a absorção de nutrientes.

O gengibre atua como uma especiaria com poder desintoxicante, ajudando a metabolizar e excretar toxinas. A noz moscada e a canela possuem um leve efeito termogênico.

Os alimentos que tiram o ânimo

Deve-se evitar:

– o açúcar refinado (encontrado em bolachas, doces).O consumo descompensa os níveis de glicose sanguínea, levando a um estado de queda de glicose;

– O excesso de cafeína. O consumo excessivo causa depleção de vitaminas do complexo B e de alguns nutrientes como: ferro, zinco e magnésio.

– O excesso de bebidas alcoólicas. O consumo excessivo também atrapalha na absorção e age como depletador dos nutrientes.

Um abraço!

ASS ROSALIA

 

Rosalia Schwark
Psicóloga Especialista em Neurociência
Criadora do Método Movimento Perfeito

 

Deixar seu Comentário

Comentar