É famosa a imagem dos monges budistas que suportam todo tipo de dor- como deitar-se sobre brasas – enquanto estão meditando. E a explicação está num fenômeno neurológico. Durante a meditação, o relaxamento é tão grande que o corpo deixa de dar resposta aos estímulos externos. Para entender, imagine o cérebro humano como uma imensa rede de comunicações. Cada um dos seus 14 bilhões de neurônios se conecta com milhares de outros. Assim, até nas atividades mais simples, você processa um monte de informações, em um certo ritmo. Durante o dia, esse ritmo vai de 15 a 30 hertz ( ciclos por segundo ). É chamado estadoBeta. Durante o sono, esse ritmo baixa para 4 ciclos por segundo, o estado Delta. Quando você medita, seu cérebro fica num estágio intermediário entre vigília e o sono, o Alfa . A freqüência cerebral, aí, vai de 8 a 12 hertz. Mas, incrivelmente, o repouso na meditação é maior do que no sono.

“Quando você está sonhando, se mexe na cama e seus batimentos cardíacos podem aumentar”, diz o neurologista Rubens Reimão, do Hospital das Clínicas de São Paulo. “Na meditação, há uma redução da tensão muscular. E, com isso, o corpo acaba consumindo pouca energia”, afirma Reimão.

Quando você medita, você altera o seu padrão respiratório, respirando mais lentamente e com isso altera as ondas cerebrais passando de um estado Beta para o estado Alfa. Esta indução, produz uma queda no ritmo e uma produção de estados de tranqüilidade, paz , bem-estar. “Na meditação você controla o seu ritmo e a produção de estados emocionais positivos. No sono, muitas vezes durante os sonhos, você produz estados de tensão, quando você esta tendo pesadelos, produzindo emoções fora de seu controle”, diz a psicóloga Rosalia Schwark, especializada em PsicoNeurologia. “A meditação é treinamento mental para a saúde física e emocional”, ensina Rosalia.

A meditação é uma técnica de relaxamento e concentração da mente com o objetivo de criar mais saúde física e emocional. Quem medita com freqüência reduz a produção de cortisol, que é o hormônio do estresse.

Você não precisa de técnicas de monges budistas e nem em deitar em brasas, para alcançar o estado meditativo, ou seja, o estado Alfa , técnicas de respiração profunda já é um belo começo.

 

ASS ROSALIA

 

Rosalia Schwark
Psicóloga Especialista em Neurociência
Criadora do Método Movimento Perfeito

 

 

Deixar seu Comentário

Comentar